Faculdade de Ciências
Farmacêuticas de Ribeirão Preto

Universidade de São Paulo

IDIOMAS: | INTRANET

Apresentação

Departamento de Análises Clínicas, Toxicológicas e Bromatológicas

O Departamento de Análises Clínicas, Toxicológicas e Bromatológicas está constituído por 36 docentes,  dois quais 7 são Professores Titulares, 13 Professores Associados e 16 Professores Doutores. A composição atual do Departamento em termos de servidores é de 12 Especialistas de Laboratório de Nível Superior, 26 Técnicos de Laboratório Nível Médio, 9 Auxiliares de Laboratório Nível Básico, 1 Técnico Administrativo e 5 Secretárias.

A missão do DACTB é desenvolver ensino, pesquisa e extensão universitária de forma articulada nas áreas de Biociências básicas e aplicadas à Farmácia, Ciência dos Alimentos e Toxicologia visando a formação de recursos humanos altamente qualificados, com visão humanista, crítica e reflexiva, comprometidos com o desenvolvimento científico na fronteira do conhecimento, com o compromisso de transferir conhecimento pautado na realidade social, no desenvolvimento cultural e na melhoria da qualidade de vida da sociedade.

O Conselho do Departamento é responsável pela gestão acadêmico-administrativa do Departamento. O Conselho discute em suas reuniões o planejamento do cronograma de execução das atividades pautado no plano de metas acadêmicas, levantamento de dados e nas sugestões de melhoria para estabelecer políticas, desenvolver estratégias e concentrar recursos. O Departamento conta com as seguintes Comissões para assessora-lo: Pesquisa, Graduação e Pós-Graduação; Incentivo e Estágio em Análises Clínicas, Toxicológicas e Bromatológicas; Espaço Físico e Orçamento. O Departamento tem investido na formação de redes de pesquisa, na realização de ações integradas com docentes de outros Departamentos e de outras Unidades, no compartilhamento de infraestrutura de equipamentos e recursos humanos, na priorização de laboratórios didáticos multidisciplinares, na redução de retrabalhos, no uso da informática para comunicação, na otimização do tempo com reuniões, na agilidade nos processos decisórios e no estímulo a reuniões de pesquisa por videoconferência.

Os docentes do Departamento desenvolvem suas atividades de pesquisa em duas grandes áreas, Biociências aplicadas à Farmácia (76.7%) e Toxicologia (23.3%). As principais linhas de pesquisa na área Biociências aplicadas à Farmácia podem ser agrupadas em: 1-Entendimento da relação parasita-hospedeiro e fisiopatologia de doenças, tais como as infecciosas, as inflamatórias, as linfoproliferativas ou as degenerativas. 2-Busca de marcadores moleculares e fatores de virulência de patógenos visando à descoberta de novos alvos terapêuticos, desenvolvimento de vacinas e técnicas mais precisas e inovadoras para diagnosticos. 3-Utilização de microrganismos como instrumentos de biorremediação ou de estudos de biologia celular. 4-Avaliação e políticas de saúde pública. As principais linhas de pesquisa na área de Toxicologia são: 1- Toxinologia: Peçonhas animais e antipeçonhas de origem vegetal -  caracterização e mecanismos de ação. 2-Toxicodinâmica: Neurotoxicantes, disfunção mitocondrial, excitotoxicidade e estado redox celular nas doenças neurovegetativas e na neurotoxicidade, estratégias de neuroproteção. 3-Toxicologia ambiental: Estudos de biomonitoramento e desenvolvimento de técnicas espectrométricas e espectroscópicas aplicadas à análise de elementos químicos e contaminantes emergentes. Avaliação da atividade genotóxica e mutagênica de compostos de interesse ambiental. Avaliação das atividades antigenotóxica e antimutagênica de componentes da dieta. Modulação de compostos bioativos da dieta nos processos de expressão gênica e metilação de genes. Interação medicamento-alimento. 4-Toxicologia de Medicamentos: Estudos clínicos dos efeitos adversos de medicamentos. Influência de doenças e interações de fármacos na farmacocinética e na modelagem PK-PD de medicamentos quirais. Assim, podemos dizer que as linhas de pesquisa dos docentes do Departamento, embora abrangentes convergem para um foco comum que é a Saúde Humana, dentro da grande área de Farmácia.

Os docentes do Departamento participaram como Pesquisadores Responsáveis ou Principais em 6 Projetos Temáticos FAPESP: 1-Toxinas animais: estrutura, função e aplicações biotecnológicas; 2-Toxinas animais nativas e recombinantes: análise funcional, estrutural e molecular; 3-Mediadores lipídicos como reguladores da resposta imune; 4-Novos aspectos funcionais dos eicosanoides; 5-Aperfeiçoamento da inocuidade de alimentos pela eliminação de patógenos de biofilmes mistos; 6-Avaliação integrada da estabilidade e propriedades funcionais de pigmentos naturais de alimentos. Os docentes do Departamento também participaram como Coordenadores ou Pesquisadores Associados em: a) 3 Núcleos de Apoio à Pesquisa: NAP-TOXAN-Toxinas Animais; NAPAN-Alimentos e Nutrição e NPPNS-Produtos Naturais e Sintéticos);  b) 3 Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia: INCT-IF-Inovação Farmacêutica; INCTC-Terapia Celular e INAIRA-Análise Integrada do Risco Ambiental; c) 1 Convênio FINEP CT-INFRA e d) 2 Centros de Pesquisa em Inovação e Difusão: CEPID-Alimentos e CEPID-Terapia Celular. O Departamento ainda disponibiliza 2 Centrais Multiusuários: Centro de Citometria de Fluxo  e Centro de Sequenciamento de Ácidos Nucleicos.

Na pós-graduação,  a participação dos docentes do Departamento é majoritária em dois Programas de Pós-graduação da Unidade: Biociências Aplicadas à Farmácia e Toxicologia. Salienta-se ainda que docentes do Departamento também orientam em Programas de Pós-graduação da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP, dentre os quais, Imunologia Básica e Aplicada; Bioquímica; Ciências Biológicas Área Genética; Hemoterapia e Biologia Celular e Molecular.

A participação dos alunos de graduação nas atividades de pesquisa é fortemente evidenciada na Iniciação Científica e no Programa de Introdução à Ciência (PRÓ-CIÊNCIA). Os docentes do Departamento também participam do Programa de Pré-Iniciação Científica (PRÉ-IC), o qual visa apoiar projetos de pesquisa que possibilitem despertar e incentivar o interesse de alunos da rede pública de ensino.

As articulações entre o ensino de pós-graduação e a graduação estão muito bem consolidadas no Programa de Aperfeiçoamento de Ensino (PAE), destinado a aprimorar a formação de alunos de pós-graduação para a atividade didática de graduação mediante a participação do pós-graduando em disciplinas da graduação.