Faculdade de Ciências
Farmacêuticas de Ribeirão Preto

Universidade de São Paulo

IDIOMAS: | INTRANET

Nanotecnologia Farmacêutica

Programa de Pós-graduação em Nanotecnologia Farmacêutica

Associação de IES

Universidade Federal de Goiás (UFG) Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto (USP-RP) Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP-ARARAQUARA) Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).



Área de concentração: Nanotecnologia Aplicada às Ciências Farmacêuticas

Linha de pesquisa: Pesquisa e desenvolvimento de sistemas nanoestruturados para moléculas bioativas

Homologação pelo CNE

O PPGNanoFarma foi Homologado pelo CNE (Port. Reconhecimento MEC 1.203, de 26/09/2012, com Publicação no DOU n.º 190, de 01.10.2012, Seção 1, página 19/20)

Nanotecnologia Farmacêutica

A Nanotecnologia voltada à Saúde vem se desenvolvendo no Brasil desde meados da década de 1990, demonstrando um crescimento exponencial. Este crescimento se deu na esteira de iniciativas governamentais, operacionalizadas pelo CNPq/MCT, através de editais públicos para a implementação de Redes de Pesquisa em Nanotecnologia (2001 e 2005). Em decorrência da experiência acumulada ao longo da última década de atividades em Rede, e como uma evolução natural do crescimento da área no Brasil, a proposta de criação do Curso de Doutorado em Nanotecnologia Farmacêutica foi elaborada por um conjunto de pesquisadores com amplo histórico de pesquisa e desenvolvimento de produtos de base nanotecnológica voltados para a saúde humana.

Dentre os diferentes enfoques e aplicações da Nanotecnologia, a área farmacêutica assume destaque inquestionável, devido ao impacto que a tecnologia em nanoescala imprime positivamente à terapêutica. Nos últimos anos, o número de artigos científicos e o depósito de patentes, crescentes no tema, demonstram a sua importância e relevância nacional e internacional.

O Programa de Pós-Graduação

Avaliando-se a trajetória da Nanobiotecnologia no Brasil, é possível afirmar que passos importantes já foram dados e gargalos suplantados. Com a especialização crescente nos temas relacionados à saúde, a nanobiotecnologia e a nanotecnologia farmacêutica se destacam na geração de novos conhecimentos. Na atualidade existem vários grupos de pesquisa distribuídos pelo País que atuam em Nanotecnologia Farmacêutica, de forma eficiente e competitiva. Esses grupos de pesquisa formam a base do PPGNanofarma.

O parque instrumental moderno e adaptado está disponível no conjunto das IES associadas para o desenvolvimento de atividades em nanotecnologia voltada à saúde. Considerando que um dos maiores desafios da Nanotecnologia Farmacêutica no Brasil é a falta de pessoal especializado para efetivo desenvolvimento tecnológico e transferência de tecnologia nas interações universidade-sociedade, esses grupos se uniram para a criação do Programa de Pós-Graduação em Nanotecnologia Farmacêutica, nível doutorado. Além disso, existe no Brasil uma assimetria de distribuição de pesquisadores atuantes no setor produtivo com expertise em Nanotecnologia Farmacêutica, o que contribui para o agravamento das desigualdades regionais. Isto posto, configurou-se como oportuna e necessária a implementação de um programa de doutorado multiinstitucional em Nanotecnologia Farmacêutica. O PPGNanofarma é uma associação de 9 IES, a saber: UFG, UFRGS, UFSC, USP-Ribeirão Preto, UNESP-Araraquara, UFSM, UFOP, UFPE e UFRN.

No Segundo semestre de 2008, em resposta ao EDITAL CAPES 504/CII-2008 REDE-NANOBIOTECNOLOGIA-BRASIL, o projeto de constituição da “Rede Brasileira de Nanotecnologia Farmacêutica” foi enviado à CAPES. A coordenação do projeto de formação da Rede ficou sob responsabilidade da Profa. Sílvia S. Guterres (UFRGS). Um dos resultados esperados que foram elencados no projeto de constituição da rede foi a criação de um “Doutorado em Nanotecnologia Farmacêutica” organizado através de uma rede nacional de instituições. Tal resultado foi consolidado pela criação em 2010 do PPGNanoFarma. Os Pesquisadores do PPGNanoFarma compõem umas das Redes do INCT-IF CNPq-MCTI (2010-2014), assim como a Rede de Nanotecnologia Farmacêutica no âmbito do Edital CAPES de Redes Nanobiotec-Brasil (2010-2014) (Patentes no período).

O PPGNanofarma obteve conceito Muito Bom em todos os quesitos avaliados na Avaliação Trienal 2013 da CAPES (2010-2012), tendo sido atribuída nota 4.


Cooperação internacional

Quanto à cooperação internacional, os docentes do PPGNanofarma coordenam os projetos:

- CNPq – Massachusetts Institute of Technology (USP/RP - UFG) – 2012 - 2015

- MCT  - Rede SIBRATEC – Centros de Inovação em Nanocosméticos

- CAPES/COFECUB - UFOP e Centre INSERM (Prof. Sylvain Richard- Université de Montpellier I (2013-2016)

- CAPES/COFECUB - UFSC e Centre de Recherche sur Le Macromolecules Végétales (CERMAV, Grenoble, França) 2007-2015

- CAPES/COFECUB 721/11 - UFRN/UFMG/UFPE e UPSud 11, (Châtenay-Malabry, França) 2011-2015. Nanotecnologia para administração de agentes antiinfecciosos (Nanotechnologie pour l´administration d´agents anti-infectieux)

- Rede Alpha 3, financiada pela Comunidade Europeia

- MCT/CNPq – Coop. Internacional Nanobiotecnologia (México) – 2011 - 2014

- MCT/CNPq – Coop. Internacional Nanobiotecnologia (Cuba) – 2010 - 2013

 

SisNANO

- IBN/MCTI-SisNANO Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologias: Central Integrada para Análises em Nanotecnologias (LARnano UFPE e LRNano-CNano UFRGS)

Corpo Docente, Corpo Discente e Distribuição de Orientações

O Corpo Docente do Programa é composto por 15 Professores, dos quais 13 Docentes Permanentes e 2 Colaboradores. Dentre os 15 docentes, os bolsistas de Produtividade em Pesquisa do CNPq são distribuídos em 1A (3), 1D (3), 2 (7). Considerando o Núcleo Permanente, 92% são bolsistas de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

O Regimento do PPGNanofarma estabelece que para solicitar credenciamento o docente deve estar credenciado em um Programa de sua área e ter concluído orientação. Além disso, estabelece (Art. 22, §5º) que o número máximo de doutorandos por docente é 3. Desta forma, em 2013 o Corpo Docente apresentou um número médio de orientação de 1,4 e mediana de 1 e, em 2014, média de 1,73 e mediana de 1; assim como o Núcleo Permanente teve um número médio de orientação de 1,6 e mediana de 2 em 2013 e 2,0 e 2 em 2014. Os colaboradores (2 docentes) não orientavam e somente 2 docentes do Núcleo Permanente estiveram sem orientação em 2013, enquanto que em 2014 apenas um colaborador e um docente permanente não orientaram. Cabe salientar que ambos ministraram disciplina em 2014.

O número médio de doutorandos passou de 18,5 para 13, visto que o número de alunos no final de cada ano, 2013 e 2014 foi de 20 e de 16 respectivamente. A relação de titulados por matriculados passou de 0,06 para 0,625 considerando que o número de titulados passou de 1 para 10 pois o Programa completou 4 anos em outubro de 2014. Adicionalmente, o tempo mediano de doutoramento foi de 37 em 2013 e de 43 em 2014.

Cabe salientar que houve um expressivo aumento de alunos em doutorado sanduíche em 2014, assim como o total de pós-graduandos passou de 21 para 26, comparando 2013 e 2014. Adicionalmente, a razão de doutorandos por docente do núcleo permanente passou de 1,6 para 2,0.

Em 2013, a primeira Tese foi defendida, e em 2014 dez doutores de diplomaram.


Produção Científica

O Núcleo Permanente publicou 62 artigos científicos em 2013 e, em 2014, 79 artigos dos quais 78 indexados. Quanto à participação discente na produção científica temos 6 artigos de co-autoria de doutorandos do PPGNanofarma em 2013 e 11 em 2014.

Considerando que 100% dos docentes estão credenciados em 2 ou 3 Programas, é esperado que o percentual relativo de participação discente na produção científica seja baixo, uma vez que o número máximo de orientação em andamento no PPGNanoFarma é 3 doutorandos por docente em 31 de dezembro do ano avaliado.

Em 2013, o núcleo permanente havia publicado 35,5% dos artigos nos estratos A1 e A2, e o corpo discente 33,4%. Em 2014, pode-se verificar um aumento dos percentuais de artigos publicados nesses estratos, sendo 46,2% dos artigos publicados pelo Docentes Permanente e 54,6% dos artigos com discente. Houve um deslocamento da distribuição percentual de artigos para os estratos superiores comparando 2013 e 2014, tanto para a produção do núcleo permanente quanto para a produção discente. Caracteristicamente ambas as distribuições são bimodais tendo seus máximos nos estratos A1 e B1.

A distribuição da pontuação da produção científica por estrato pode ser observada na figura abaixo, onde nitidamente verifica-se um aumento da contribuição dos artigos nos estratos A1 (azul) e A2 (laranja) para o cálculo de pontuação comparando os anos de 2013 e 2014.

As listas de Artigos Publicados pelos Docentes Permanentes do PPGNanofarma podem ser acessadas por ano:
2011 - 2012 2013 -  2014 

 

Novos Talentos 2014

O PPGNanofarma se uniu aos Programas de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas e Pós-Graduação em Assistência Farmacêutica no Projeto Novos Talentos 2014. O projeto Novos Talentos desenvolveu atividades com professores e alunos do ensino fundamental do Colégio Estadual Luciana de Abreu e do Colégio Estadual Professor Elpídio Ferreira Paes, ambos de Porto Alegre.

Atividades práticas de laboratório e aulas ministradas por alunos de pós-graduação com duração de duas horas, sob tutoria dos professores dos programas de pós-graduação envolvidos foram realizadas, sempre integradas nas atividades pedagógicas das séries do Ensino Fundamental selecionadas em ambas as escolas.

 

Escolas e Workshops organizados no Programa

Maio 2011

1° Workshop da Rede de Nanotecnologia Farmacêutica da CAPES

1ª Escola do PPGNANOFARMA - Galeria de fotos

 Dezembro 2011

1ª Escola de Nanoterapeutica (Profa Eder L Romero e Profa Maria Jose Morilla – Univ Nac Quilmes; Argentina)

Março 2012

Special Topics: Skin Delivery (Prof. Ulrich Schaefer – Saarland University; Alemanha)

Setembro 2012

Tópicos Especiais em Biofarmácia (Prof. Gordon Amidon – University of Michigan; USA)

Junho 2013

2° Workshop da Rede de Nanotecnologia Farmacêutica da CAPES e

2ª Escola do PPGNANOFARMA - Galeria de fotos

Agosto 2013

2ª Escola de Nanoterapêutica (Prof. Hatem Fessi  - Universidade de Lyon I; França)

Setembro 2013

3° Workshop da Rede de Nanotecnologia Farmacêutica da CAPES

Dezembro 2014

4° Workshop da Rede de Nanotecnologia Farmacêutica da CAPES e

3ª Escola do PPGNANOFARMA - Galeria de fotos






CLIQUE E BAIXE OS ARQUIVOS

Nome do Arquivo Tamanho Download
Edital_2015 734,7 KB