Faculdade de Ciências
Farmacêuticas de Ribeirão Preto

Universidade de São Paulo

IDIOMAS: | INTRANET

Serviço Farmacêutico no SUS

ATENÇÃO FARMACÊUTICA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE


        Com foco na atenção primária à saúde, a Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FCFRP/USP) está desenvolvendo em parceria com a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP/USP), atividades que visam a implantação e a estruturação de um Serviço de Atenção Farmacêutica, vinculado ao Serviço Farmacêutico da FCFRP/USP. Essas atividades estão sendo desenvolvidas no Núcleo de Saúde da Família 4 (NSF 4),desde outubro de 2012 pela farmacêutica Estael Luzia Coelho Madeira da Cruz, sob a supervisão da Prof.ª Dr.ª Regina Célia Garcia de Andrade.

        O Serviço de Atenção Farmacêutica, também conhecido como serviço de AtenFar, é inicialmente desenvolvido para a população da área adstrita ao NSF 4, localizado no distrito oeste do município de Ribeirão Preto/SP na rua Padre Anchieta nº 2661, bairro Sumarezinho. Além de um campo de ensino, estágio e pesquisa para alunos e professores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, o serviço da AtenFar visa combater o importante problema social da morbimortalidade relacionada aos medicamentos, empregando um processo de cuidado centrado no paciente com uma responsabilidade profissional claramente definida.


        O trabalho é desenvolvido com os pacientes que apresentam hipertensão e diabetes concomitantes, comorbidades crônicas marcadas pela baixa adesão medicamentosa. Com um componente fortemente humanístico a AtenFar por meio de ações que estimulem a adesão dos pacientes aos tratamentos e que previnam, detectem e tratem eventuais problemas que possam surgir no decorrer dos tratamentos medicamentosos, tem como componentes gerais a educação em saúde, a orientação farmacêutica, o seguimento farmacoterapêutico, o registro sistemático das atividades e a mensuração e avaliação de seus resultados, com o propósito de alcançar resultados específicos que melhorem a qualidade de vida da população assistida.

        Durante a AtenFar são utilizados uma série de algoritmos elaborados pelo Farmacêutico Felipe Dias de Carvalho a partir da literatura e, principalmente da metodologia Dáder, que abordam desde a oferta de serviço até a alta do paciente. Todos os pacientes recebem visitas domiciliares mensais além de consultas farmacêuticas no NSF 4, cuja frequência varia conforme necessidade. O objetivo inicial é a conscientização do paciente acerca dos medicamentos em uso e dos problemas de saúde apresentados, além do controle das doenças de base. Para isso, fazem-se necessárias intervenções do farmacêutico junto à equipe multiprofissional, através da discussão de casos e participação em grupos multiprofissionais.


        A implantação do Serviço de Atenção Farmacêutica no NSF 4, favoreceu a presença de estudantes de graduação através da disciplina eletiva de Práticas em Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica. E, em médio prazo será elaborado um projeto para a criação de vagas de estágios curriculares para os acadêmicos do último ano do curso de Ciências Farmacêuticas da FCFRP/USP.




ACOMPANHAMENTO FARMACOTERAPÊUTICO EM PACIENTES AMBULATORIAIS E HOSPITALIZADOS (ATENÇÃO SECUNDÁRIA E TERCEÁRIA)


    Com o objetivo de desenvolver atividades de assistência, ensino e pesquisa, a Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FCFRP/USP) promoveu, em parceria com a Divisão de Assistência Farmacêutica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HCFMRP/USP), a implantação do Serviço de Farmácia, sendo este vinculado ao Serviço Farmacêutico da FCFRP/USP. Essas atividades, iniciadas em novembro de 2011, são desenvolvidas pelo farmacêutico João Paulo Vilela Rodrigues, sob a supervisão do Prof. Dr. Leonardo R. L. Pereira.
   
    O Serviço de Farmácia Clínica se concentra na enfermaria da Neurologia (4º andar) e na Unidade Especial de Tratamento de Doenças Infecciosas (UETDI) do HCFMRP/USP. Na Neurologia, o farmacêutico é responsável pelo acompanhamento farmacoterapêutico de pacientes internados na ala B (adultos) da enfermaria. O acompanhamento desses pacientes se inicia na admissão hospitalar, quando são levantadas informações sobre medicamentos previamente utilizados (reconciliação medicamentosa) e sobre a história clínica pregressa do paciente. Não são raras internações causadas por reações adversas a medicamentos (RAM). A partir de então, é realizada, diariamente, a análise das prescrições médicas que considera indicação dos fármacos, dose prescrita, RAM, interações medicamentosas, interações dos medicamentos com alimento e interações dos medicamentos com sonda nasogástrica.

 
    Faz-se ainda o estudo das doenças diagnosticadas ou das hipóteses diagnósticas. O entendimento sobre a doença permite que o farmacêutico conheça parâmetros de avaliação da evolução clínica (exames laboratoriais) e as opções de tratamento. Sempre que necessário, o farmacêutico realiza intervenções junto à equipe médica, geralmente relacionadas ao tratamento medicamentoso, sendo assim, pode-se afirmar que esse profissional atua como um consultor sobre terapêutica junto à equipe de saúde. A interação do farmacêutico com a equipe ocorre primeiramente de forma verbal e, em um segundo momento, por meio de registro em prontuário médico. O acompanhamento é realizado até o momento da alta hospitalar, sendo que o farmacêutico também se responsabiliza pela orientação do paciente relacionada à prescrição médica que deverá ser cumprida após a alta.

    Na UETDI, o farmacêutico faz o acompanhamento de pacientes ambulatoriais com HIV por meio de encontros individuais mensais, geralmente associados à dispensação dos antirretrovirais. São acompanhados pacientes adultos que apresentam história de má adesão ao tratamento farmacológico ou resultados de exames laboratoriais insatisfatórios (carga viral e contagem de linfócitos T CD4). Além disso, alguns pacientes em início de tratamento farmacológico são inseridos no acompanhamento por indicação da equipe de saúde, quando esta considera que esses pacientes apresentam potencial de má adesão ao tratamento (analfabetos, idosos, etc). As consultas e as intervenções farmacêuticas realizadas junto à equipe médica são registradas com o auxílio de formulários específicos, sendo observadas a farmacoterapia e a evolução clínica do paciente. O principal objetivo desse serviço é melhorar a adesão do paciente à terapia antirretroviral e, consequentemente, a sua qualidade de vida.

    A implantação do Serviço de Farmácia Clínica na Neurologia e na UETDI favoreceu a presença de estudantes de graduação por meio da disciplina eletiva de Práticas em Atenção Farmacêutica e Farmácia Clínica, além da realização de estágios de iniciação científica. Existe ainda um projeto de criação de vagas de estágios curriculares para os acadêmicos do último ano do curso de Farmácia-Bioquímica da FCFRP/USP.